quarta-feira, 6 de maio de 2020

O Totalitarismo nas Ruas

Por Marcelo Rocha Monteiro

O Jornal Nacional acaba de mostrar (sem fazer absolutamente nenhuma crítica) a imagem de cidadãos comuns sendo impedidos (por policiais armados) de caminhar pelas ruas de São Luís do Maranhão, e obrigados a voltar para casa - muito embora a Constituição estabeleça em seu artigo 5º, inciso II, que ninguém será obrigado a fazer ou deixar de fazer coisa alguma, senão em virtude de LEI.

Não há lei alguma, nem mesmo a recente Lei de Quarentena (Lei 13.979/2020) que permita ao Poder Público confinar toda a população em casa, seja por decreto do Executivo ou por ordem judicial.Para que não haja dúvida: somente com a decretação do estado de sítio (por iniciativa do presidente da República e aprovação do Congresso Nacional) a Constituição permite ao governo federal (e só a ele) “obrigar a permanência de pessoas em localidades determinadas” (artigo 139, inciso I).

Medidas restritivas de liberdade precisam estar previstas EXPRESSAMENTE no texto legal. Apontar como fundamento para a prisão domiciliar de uma cidade inteira um artigo da Constituição que apenas enuncia que a saúde é direito de todos e dever do Estado é, na melhor das hipóteses, uma demonstração de analfabetismo jurídico. Ou, numa hipótese pior, uma comprovação de que, quando a oportunidade se apresenta, não faltam candidatos a protoditadores, sempre dispostos a restringir nossa liberdade - invocando, exatamente como fizeram Mussolini, Hitler, Stálin, Mao e outros, “um bem maior”. Não conseguem sequer ser originais.
Tudo sob aplausos de setores da mídia - os mesmos que alegam ter “muito medo” da “ameaça” à liberdade representada por manifestantes - cidadãos comuns que, diferentemente dos policiais de São Luís, estão desarmados. Na imagem, o casario colonial de São Luís do Maranhão. Cabe aos verdadeiros defensores da liberdade impedir que as semelhanças com Havana ultrapassem o estilo arquitetônico.


segunda-feira, 4 de maio de 2020

O Povo Antidemocrático no País da Juristocracia

Lembram daquele juiz que virou ministro da justiça, um tal de Sergio? Aquele que queria comprar tablet para detentos? Lembrou agora? Pois bem, ele não tinha prova alguma contra o presidente. Foram 9 horas de boas partidas de pôker e dominó, que a imprensa amiga noticiou como depoimento, e que terminou (literalmente) em pizza.

E o presidente Bolsonaro, antidemocrático como sempre, recebeu apoio do povo antidemocrático e disse que vai continuar cumprindo a antidemocrática Constituição Federal. A grande mídia reclamou porque um menino vestido de amarelo abraçou o presidente, que segurava uma bandeira do Brasil. Alguém disse que isso seria um golpe. Deve ser mesmo um golpe para essas pessoas, alguém dizer que vai continuar cumprindo a lei.

Adélio, que ainda está vivo, corre sérios perigos. Um homem como ele, que mesmo desempregado e tinha tantos smartphones, notebooks, bancava suas próprias viagens e pousadas, stands de tiro, e ainda transpirava simpatia, a ponto de ter desconhecidos gritando seu nome "calma Adélio" antes dele desferir a fatídica facada e ainda conseguir um patrocinador para seus caríssiomos advogados, é sem dúvida, um sujeito que deve ser muito simpático. E claro, se muito vigiado, para que não pegue Corona Vírus qualquer dia desses.

Mais invejável ainda é a eficiência de alguns ministros daquela corte famosa (que tem em suas gavetas processos parados há mais de 20 anos). Um deles, um que voa com tucanos, tem bico de tucano, fala como tucano, age como tucano , mas que não é tucano tá! Esse mesmo conseguiu, em tempo recorde, decretar a prisão em flagrante de manifestantes que estavam atrapalhando o governo tucano de São Paulo, onde o tal ministro foi secretário. Conseguiu ainda provocar o MP pedindo medidas que restringem o direito dessas pessoas ao TJ e a solicitação foi em tempo recorde acatada. Incrível. Agora vai! As tais gavetas da Corte vão esvaziar!

Pois alguns ministros da mesma Corte estão mais assanhados que o Cid Gomes com seu tratorzão. Eles atropelaram duas nomeações feitas pelo presidente e a expulsão de diplomatas Venezuelanos, daquele paraíso democrata, além de fazer um depoimento que normalmente ocorre em 60 dias ser acelerado para ocorrer em (pasme!) 5 dias! E isso tudo só na semana passada. Mas só voltando rapidinho ao ministro esquecido tucano da justiça: só pra lembrar você que ele será esquecido mais rápido que ele esquece de suas conversas no Whatsapp.







domingo, 3 de maio de 2020

Sergio Moro, o Epílogo de um Herói.

Dizem que uma pessoa realmente morre quando seu nome é pronunciado pela ultima vez.
Moro entrou pela porta dos fundos da mesma PF que entrava pela porta da frente, em Curitiba.
Depôs com cartas marcadas com delegados de sua própria equipe, de seu círculo de amizade, de sua confiança. Mostrou 15 meses de prints de Whatsapp que provelmente armazenou justamente para esse dia. Foram 9 horas de bate-papo, descontração e brincadeiras com seus amigos de longa data da Operação Lava-Jato. Deve ter rolado até uns beliscões nas costelas e tapinhas na nuca. No final, quatro pizzas para coroar a obra teatral.

Mas Moro já foi descartado. Seus senhores estão aproveitando seus últimos suspiros. Passeando por sites esquerdistas (esses já quase bolsonaristas agora), assim como outrora, não acreditam nele. Isso porque ele foi um ponta de lança utilizado contra o Bolsonaro pelo mesmo centrão que abandonou Dilma. A verdade -e que agora ele não serve mais. Os caciques odeiam traidores. Eles nunca se traem. A prova disso é Cunha nunca ter aberto o bico. Nem Maia, nem FHC, nem Temer querem pessoas como Moro por perto. Sujeitos como Moro, egocêntricos, orgulhosos, ambiciosos só se assemelham a tipos como Dória, Witzel e Judas, aquele da Bíblia.

Moro acabou. Joice acabou. Assim como o falecido Bebianno, o general Santos Cruz, Frota e tantos outros, ele virou tampa de yogurte ou qualquer outra coisa usada que não dá nem para reciclar. Na realidade eles são escravos, usados pelos verdadeiros donos do poder que imediatamente se livram deles após perceberem que são inúteis. E tais poderosos não conseguiram nem dessa vez tirar o Bolsonaro. Eles certamente vão tentar utilizar outro ser descartável, um desses, como Sergio Moro.

No Carandiru, dizem que o pavilhão X9 era onde ficavam os traidores que entregavam seus pares para a polícia. O detalhe é que no caso de Moro, apenas o delator cometeu crime, ao contrário do Carandiru, onde um criminoso entregava outro criminoso. Dos crimes de Moro temos dois possíveis: de prevaricação, se não denunciou antes, ou de denunciação caluniosa se está mentindo. O importante é que ele se tornou X9 para todos os casos. E até o tribunal do crime pune e descarta pessoas assim.



Olavo de Carvalho disse: em 3 meses ninguém mais lembrará de Moro Provavelmente ele não será lembrado, nem por seus entes mais próximos. Seus amigos delegados se unirão a quem estiver no poder, e sabe-se lá se não estarão investigando o mesmo Sergio Moro em alguns meses.

Dizem que no juízo os salvos terão seus nomes chamados pelo nosso Senhor.Um dia nosso Senhor Jesus vai chamar alguns nomes, mas nomes de traidores certamente não estarão na chamada de nosso Senhor.

E daqui a três meses Sergio Moro terá seu nome será pronunciado pela última vez.


sexta-feira, 18 de dezembro de 2015

O Golpe: Coisas a Esclarecer


          Os protestos do último dia 13 de dezembro foi uma bobagem mal planejada, digna de amadores. As pessoas não querem somente o impeachment. Elas querem todos os políticos atuais fora do poder. Então os inteligentes, não satisfeitos, marcam a próxima manifestação para março de 2016, como se fosse um jogo de futebol ou algo assim, enquanto os canalhas trabalham todos os dias, e terão até março para gozar de férias às nossas custas enquanto os cães de guarda deles, como Adams, Fachin, Janot, trabalham para garantir um março perdido para todos nós.

          Temos o apoio de pessoas importantes, mas nenhum grupo importante está conosco. Os "impichmistas" estão nas mãos dos políticos da oposição. Confiam nos políticos. Excetuando-se Bolsonaro e Feliciano, não deve-se confiar em nenhum outro. Estes dois são tão sinceros quanto os políticos do PSOL ou PCdoB, porém em lados opostos. Fora estes, do "lado de cá" não tem sinceridade. Todos estão dispostos a negarem seus princípios em troca do gordo salário de parlamentar. Eles recebem centenas de milhares de votos para chegarem lá e vão jogar tudo pra cima? Entendam os políticos... eles têm família e um futuro garantido, apesar de terem nenhuma dignidade.

           Tem outro algo que já foi provado: assustar parlamentares e juízes em suas residências causa barulho mas não medo. Eles sabem que são pessoas de bem que estão protestando, que jamais passariam dos limites da lei, e então eles fazem o que querem. Chegam até a se revezaram nos votos, como no caso do Fachin. Quando todo mundo comemorava "o medo" do ministro do STF, eles tomavam uísque e planejavam o dia seguinte, certamente gargalhando do povo.

           E tem solução? Sim, a primeira é menos indolor, porém improvável, seria pelos militares. A segunda, proposta por Olavo de Carvalho, da desobediência civil, é bem mais plausível. Mas dentro desta proposta existem coisas radicais, inclusive protestos que verdadeiramente incomodam. O caso de "esquecer" dois ou três caminhões na entrada de aeroportos, deixar de pagar todas as contas que geram receitas ao governo por dois meses, a adesão do empresariado que pararia de vez, trancar vias de acesso ao aeroporto de Brasília, e principalmente se preparar para apanhar. Se preparem para as prisões, se preparem (o futuro chegará) para os campos de trabalho forçado. Se preparem, pois existe tortura maior do que pagar altos impostos e ficar calado em casa protestando silenciosamente.

           O PT já deu o golpe. E não foi em dezembro de 2015 pelo STF. Foi em 1990, com a criação do Foro de São Paulo. Foi em 2002, com a eleição do Lula. Foi em 1964, quando os militares ocuparam o governo e as esquerdas começaram a acupar escolas, igrejas, assossiações, clubes, creches, condomínios, trios musicais, clube de mães... Já foi dado o golpe quando você chama regime militar de ditadura. Quando você odeia os americanos porquê eles não foram adeptos de programas ambientalistas em Kyoto. Quando você fica com pena das pessoas na África, culpando governos ocidentais pela fome que é causada por ditaduras de governantes africanos exterminando sua própria raça. O golpe já foi dado.