terça-feira, 1 de abril de 2014

O governo da propaganda, a ditadura da paranóia, e seus pequenos desaparecidos políticos


     Muitas coisas costumam aparecer na mente quando falamos sobre o período do Regime Militar no governo do Brasil. Este resplandecer de ideias não é por acaso. Temos sido bombardeados por uma propaganda massiva em todos os níveis, as quais gritam contra todo e qualquer tipo de opinião a favor dos militares. Propaganda com dinheiro público.

     É sabido que esta luta contra os militares e contra a ordem policial tem ações novas, nascidas neste último mandato presidencial, por contra de uma chefe de estado que outrora fora guerrilheira, terrorista, consta-se que assaltante, sequestradora e até assassina. Não é à toa que só em propaganda (e este último governo vive somente de propaganda)  o governo federal gastou mais de 250 milhões de reais. Mas enquanto as ações são novas, as ideias são antigas, datadas do próprio regime, que, despreocupado, permitiu que as mesmas pessoas que combateu com armas adentrassem nas escolas, igrejas e universidades. Dominaram o país. E hoje nutrem com vitaminas sanguinárias o revanchismo de décadas atrás.

       Entre tantos vídeos no youtube, me chama atenção os últimos, nos quais os parlamentares que não desfrutam das mesmas ideias do Deputado Jair Bolsonaro, viraram de costas para o discursar deste, mostrando o desrespeito com o indivíduo, com o cidadão, com o deputado, com a Casa e principalmente contra a democracia. Um outro vídeo mostra alunos que invadem de forma violenta, desrespeitosa e criminosa a aula que um velho professor de história dava sobre o Regime Militar no Brasil. Espantoso como o Brasil chegou a este nível de "democracia", onde o correto é a desordem e a destruição, e a defesa de valors pétreos e princípios básicos de sociedade são incorretos e errados.

       Até hoje não seviu nenhuma marca de tortura em Genoíno, Dilma ou Zé Dirceu. Teve repressão e teve tortura, mas os verdadeiros heróis da nação são os que são mortos às 5 da manhã em uma parada indo para o trabalho, por um tiro ou facada de um assaltante que se vale de um governo que só se preocupa com vingança pessoal do passado, e a população que se lixe. Enquanto o PT fala dos desaparecidos políticos, não mais que mil, milhares de crianças desaparecem todo ano por falha, desleixo e até colaboração governamental em situações de tráfico de crianças, prostituição infantil, pedofilia, tráfico de órgãos e magia negra.

        Sobra disposição para julgar velhos militares de 70, 80, 90 anos que lutaram contra uma guerrilha armada e não contra coitadinhos reprimidos e acuados. Na maioria eram criminosos, tais como colocar metralhadoras nas mãos dos black blocs. Falta disposição para julgar todos corruptos, mensaleiros, doleiros, bicheiros, banqueiros, assassinos do Celso Daniel, traficantes, e pra investigar o sumiço de tantas crianças como nunca houve em nenhum país em toda a história. É a "Herodes" brasileira e sua matança de inocentes. Fica a pergunta: os petistas serão julgados por seus desaparecidos políticos (milhares de crianças de 0 a 14 anos que desaparecem todo ano) daqui a 50 anos?

       Via-se um velho militar de oitenta e poucos anos saindo de um prédio e um indivíduo, "amante de democracia" certamente, cuspindo no rosto do velho. Na cabeça deste indivíduo que cuspia no velho, certamente ele estava fazendo algo maravilhoso! Cuspir no rosto de um "velho torturador". Por mais criminosa que uma pessoa possa ser, em qualquer situação que ela se encontre, nem no rosto do pior serial killer em uma prisão poderia ser aceitável que se cuspisse. A paranóia da Ditadora alcançou níveis ridículos, e ela só servem pra emburrecer os jovens e pra maquiar um governo que não sabe fazer nada, senão propaganda.
       

Farol Conservador

Nenhum comentário:

Postar um comentário