sexta-feira, 4 de abril de 2014

CUIDADO COM OS PROFESSORES COMUNISTAS


Não é de se estranhar o fato de que a maioria dos jovens não somente desconhecem os crimes praticados pelos regimes Comunistas, bem como os vêem como ‘defensores da liberdade’ que sempre lutaram contra ‘vilões opressores’ no decorrer da História?

A revista Discutindo Geografia (Editora Escala Educacional), em seu número 34, publicou uma interessante matéria sobre a doutrinação a qual são submetidos os estudantes brasileiros.
Levantamentos feitos por jornalistas em 130 apostilas e livros didáticos de História e Geografia revelaram que muitos deles omitem, usam relativizações históricas e mentiras para justificar as milhões de mortes produzidas pelos governos Comunistas (quando são admitidas).

Responsabilidade
Os responsáveis primários por isso são os professores, mais especificamente de História e Geografia, que em sua grande maioria não escondem suas posições Marxistas.
Esses se utilizam de suas profissões para praticar uma verdadeira lavagem cerebral em nossa juventude, distorcendo fatos referentes a diversos períodos, principalmente no que tange ao Governo Militar brasileiro, União Soviética, Segunda Guerra Mundial, Cuba e China.

Pesquisa realizada pelo instituto CNT/Sensus revelou que 86% dos alunos declararam que Che Guevara é comentado em aula de forma positiva por seus professores. Não seria injusto, portanto, atribuir a esses entes a maior parte da responsabilidade pelo estado de ideologização Marxista do ensino no país.
Outros responsáveis são os governos municipais, estaduais e federal, que, ao longo dos últimos 15 anos, não combateram o problema, como também contribuíram decisivamente para a sua disseminação, ao promoverem, oficial ou extra-oficialmente, uma perspectiva pedagógica altamente Marxista.

Desde o fim do Governo Militar, os Marxistas tomaram de assalto todas as organizações sociais e culturais no Brasil, prova disso são os inúmeros filmes que enaltecem facínoras, como o Capitão desertor Carlos Lamarca e Olga Benário, que estiveram a serviço da União Soviética, para tentar implantar no Brasil uma ditadura Comunista.

Hoje, esses bandidos são tratados como heróis nacionais. Por trás da ação aparentemente espontânea dos “despertadores de consciência crítica”, o que existe é uma bem elaborada e difundida ‘doutrina da doutrinação’.

Você pode estar sendo vítima de lavagem cerebral Comunista quando seu professor:

- Permite que a convicção política dos alunos interfira positiva ou negativamente em suas notas;

- Omite ou minimiza fatos desabonadores da corrente político-ideológida de sua preferência;

- Transmite aos alunos a impressão de que o mundo da política se divide entre os “do bem” e os “do mal”;

- Não admite a mera possibilidade de que o “outro lado” possa ter alguma razão;

- Promove uma atmosfera de intimidação em sala de aula, não permitindo, ou desencorajando a manifestação de pontos de vista discordantes dos seus;

- Utiliza-se da função para propagar idéias e juízos de valor incompatíveis com os sentimentos morais e políticos dos alunos, constrangendo-os por não partilharem das mesmas idéias e juízos;

- Ridiculariza gratuitamente ou desqualifica convicções políticas contrárias;

- Ridiculariza, desqualifica ou difama personalidades históricas e políticas opositoras ao Marxismo;

- Adota ou indica livros, publicações e autores identificados com determinada corrente ideológica;

- Impõe a leitura de textos que mostram apenas um dos lados de questões controvertidas;

- Exibe aos alunos obras de arte de conteúdo político-ideológico, submetendo-as à discussão em sala de aula, sem fornecer os instrumentos necessários à descompactação da mensagem veiculada e sem dar tempo aos alunos para refletir sobre o seu conteúdo;

- Pressiona os alunos a expressar determinados pontos de vista em seus trabalhos;

- Alicia alunos para participar de manifestações, atos públicos, passeatas, etc.;


Nenhum comentário:

Postar um comentário