terça-feira, 18 de março de 2014

REVISTA SOCIEDADE MILITAR SOBRE A ATUAL SITUAÇÃO DOS MILITARES DAS FORÇAS ARMADAS DO BRASIL


O PRESIDENTE DA AMARP, GENIVALDO DA SILVA DEU ESSA ENTREVISTA A JORNALISTA DA REVISTA SOCIEDADE MILITAR, SOBRE A ATUAL SITUAÇÃO DOS MILITARES DAS FORÇAS ARMADAS DO BRASIL.

A proposta é ambiciosa, principalmente no que se refere a candidatos para a presidência do Brasil, hoje ha poucos candidatos que se apresentam como sendo de direita. Parece que se declarar como conservador, ou de direita, se tornou um demérito. O único que se aproxima um pouco das características necessárias para combater a elite comuno-petista seria o médico Ronaldo Caiado, mas este parece ainda não ter se consagrado como candidato do DEM para a presidência da república, ainda assim seria interessante que os organizadores do movimento o procurassem para manifestar seu apoio e, desde já, fechar acordos.

Caiado é médico, um ruralista, e criticou duramente o programa "mais médicos". Talvez seja por posições desse tipo que a grande mídia o ignore. O desafio é grande pois o PT já consagrou na mente da sociedade que tudo que não é de esquerda é anti-povo. A internet, se bem aproveitada, oferece a oportunidade de desconstruir isso.

As Associações de militares por anos tem tentado acordos com o governo visando encontrar soluções para para questões como a promoção de militares dos quadros especiais, reajustes que realmente reponham as perdas inflacionárias e votação da MP2215. Mas não são somente essas as questões da séria insatisfação para com o governo, ha o problema do revanchismo, a questão da libertinagem e ataques à família brasileira, a questão da Amazônia e as grandes reservas "doadas" para pequenos grupos indígenas, exagero nos sistemas de cotas, menoridade penal etc. Isso tudo parece que fez com que entidades chegassem a um limite de tolerância e partissem para um ataque direto contra as candidaturas do PT e aliados. Segundo e-mail recebido de Genivaldo da Silva, presidente da AMARP-FA, as associações iniciaram uma investida direta contra o governo.

http://sociedademilitar.com.br/

A AMARP não faz apologia a um golpe militar ou a qualquer revolta armada, ela espera que haja uma corrente nacional formada pela sociedade esclarecida e indignada com tudo que vem acontecendo nos últimos anos. A comunicação recebida indica que a primeira coisa a fazer é divulgar pelas redes sociais, sites e blogs as informações e denúncias verdadeiras, que mostrarão para quem ainda tem alguma dúvida que o partido do governo na verdade tem jogado o Brasil no desgoverno e caos generalizado. Quem tem navegado pela internet nos últimos meses não pôde deixar de perceber que todos os dias surgem novos sites e blogs de direita, ha comunidades enormes nas redes sociais (VEJA AQUI) que mostram que grande parte da sociedade brasileira condena os desmandos que tem ocorrido no governo comandado pelo PT.

Acreditamos que se uma entidade conseguir unir esses blogs, sites e comunidades em torno de um objetivo principal, não votar em candidatos de esquerda, por exemplo, o partido do governo terá sérissimos problemas nas próximas eleições. Calcula-se que só a rede de influência dos militares (amigos e parentes mais próximos) alcance mais de 5 milhões de pessoas. Se oUtras categorias influentes - como os médicos por exemplo - aderirem ao projeto, pode-se esperar algo realmente grande. A formação de uma bancada parlamentar que não apoie o governo é bastante viável se a campanha receber o apoio esperado.

“Encaminho visando a fazer chegar a campanha a grupos, clubes, escolas, clubes e círculos militares, condomínios, paróquias, centros evangélicos. Visando ainda à formação de grupos de pessoas capazes de acompanhar e estimular a mobilização nacional pelo voto anti PT ”.

“Militares entrevistados em Copacabana pela Revista Sociedade Militar, na passeata pelo reajuste para as forças armadas, manifestaram enorme decepção com administração do Partido dos Trabalhadores, marcado por escândalos como Mensalão e Cachoeira, Rose, etc. "Pensávamos que seria um governo de um homem do povo para o povo, mas tudo indica que se transformou no governo dos escândalos e favorecimentos ilícitos"- disse um dos militares. Os militares das Forças Armadas somam mais de 600.000 entre os que estão em atividade e os da reserva. Somados com seus dependentes e círculos de influência esse quantitativo pode passar de 5 milhões de pessoas. Um número que definitivamente pode mudar os rumos de qualquer eleição. Militares estaduais também estão insatisfeitos com o governo federal, que não facilitou para que as negociações sobre a PEC 300 prosseguissem. Na passeata em Copacabana verificou-se a presença de lideranças dos policiais e bombeiros do Rio de Janeiro, e isso acena para uma possível união de militares federais e estaduais. Se isso se concretizar e chegar às urnas certamente será um problema a mais para os políticos vermelhos.

Os militares das Forças Armadas e auxiliares comumente são homens de conduta ilibada e bem relacionados. Formadores de opinião. É freqüente serem indicados para assumir cargos de síndico em seus edifícios, diáconos em igrejas católicas e evangélicas, pastores e líderes comunitários. Homens preparados e competentes como líderes, aptos para discursar diante de pequenos e médios grupos, eles representam realmente um perigo em potencial para o partido da situação se resolverem usar sua influência para um objetivo comum. Pesquisas demonstram que as Forças Armdas são as instituições com maior credibilidade no Brasil, o que confirma que os militares brasileiros gozam de excelente reputação junto à sociedade, esperamos agora que essa boa reputação seja utilizada em prol de um futuro melhor para o Brasil.


Nos últimos meses há freqüente divergência entre militares das Forças Armadas e o governo. Manifestos Interclubes, abaixo-assinados dos oficiais e marcha virtual, são exemplos de grandes questões surgidas ainda este ano. Sem contar as manifestações particulares de vários oficiais generais. Essa aparente queda de braço com os militares pode causar bastante prejuízo nas pretensões políticas do Partidão do Governo e seus aliados. TJá passou da hora de virar a mesa! Repasse para seus amigos

"O mundo é um lugar perigoso de se viver, não por causa daqueles que fazem o mal, mas sim por causa daqueles que observam e deixam o mal acontecer." (Albert Einstein)

http://sociedademilitar.com.br/index.php/colunistas/robson-augusto/740-associacoes-de-militares-partem-para-a-luta.html

Nenhum comentário:

Postar um comentário