sexta-feira, 7 de março de 2014

Militar desvalorizado? Policial morre em ação e família só fica sabendo pela internet.

Palavras da avó, ao vivo na CBN – RJ: “Quando o repórter morreu todo mundo foi pra cima, quando o Amarildo morreu, que no fundo todo mundo sabia que tinha envolvimento com o tráfico, todo mundo se manifestou. Agora eu quero ver se vão publicar ´Quem matou o Rodrigo Paes?´... 
Rodrigo foi alvejado nessa quinta - feira (07/03).
A avó do policial também declarou que só ficou sabendo da morte do neto por que viram em um site da internet e lhe disseram. Será que a polícia não deveria ter uma equipe de profissionais para isso, enfermeiros, psicólogos e assistentes sociais, que pelo menos fosse até a residência informar e prestar assistência à família em casos como esse?
Segundo a senhora conta, seu neto lhe dizia que os coletes que usavam eram frágeis, que não resistiriam a tiros de fuzil, e que muitas vezes oito ou nove policiais subiam em locais onde havia dezenas de marginais em cima de telhados de barracos.
Policiais saem todos os dias pra uma guerra, no Rio, que insistem em dizer que está PACIFICADO e em outros grandes centros do país. Quando será que o estado irá acordar e realizar ações para que a sociedade valorize esses profissionais como gente que literalmente entrega a vida para proteger o próximo? O militar deixa a esposa com três filhos para cuidar.
Assim como o site abaixo, também apresentamos nossas honras ao militar assassinado, mas principalmente nosso repúdio a desvalor prestado por Maria do Rosário, ministra dos direitos humanos que não se manifestou até agora em favor ou homenagem a mais um herói assassinado aqueles que ela tanto defende.

Nenhum comentário:

Postar um comentário