quinta-feira, 13 de março de 2014

Líder opositora chama decisão da Unasul sobre Venezuela de "vergonha"

venezuela, unasul, protesto, vergonha, manifestações

O bloco decidiu criar uma comissão para que assessore e busque mecanismos para restaurar a convivência pacífica na Venezuela. Em comunicado, os países ainda pediram que o governo de Nicolás Maduro e "todas as forças políticas" se reúnam para alcançar a paz no país.
Machado considerou "sumamente grave" que os chanceleres da Unasul não tenham se referido à repressão das forças de segurança, assim como as denúncias de violações de direitos humanos. E pediu que os países reflitam sobre as denúncias de abusos governamentais na Venezuela.
"É obrigatório que reflitam antes que venham apoiar um regime que viola de forma massiva e sistemática os direitos humanos e que fizeram da repressão e da tortura uma política de Estado", disse.
Para ela, a declaração contrasta com um anúncio feito por um grupo parlamentar latino-americano, que pedirá ao Tribunal Penal Internacional que processe Maduro por crimes contra a humanidade devido à repressão à oposição no país.
A opositora ainda acusou Cuba de interferir na repressão política e pediu a expulsão imediata dos militares do país comunista que estariam nas Forças Armadas venezuelanas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário