sexta-feira, 7 de março de 2014

A copa no Brasil é uma grande mentira


Por Isac Mariano


Considerável parte do povo brasileiro está revoltada, porque inúmeras mentiras sobre essa Copa, contadas pelo governo, já não colam mais! E também há inúmeras outras trapaças sendo descobertas, principalmente envolvendo superfaturamentos e corrupção.

Acredito que Dilma, se pudesse, enfiaria a cara num buraco. Mas esses estádios “padrão FIFA” não podem ter buracos nos seus gramados! E por que ela enfiaria sua cara num buraco? Porque ela e muitos já perceberam que as mentiras contadas, como:

- Não haverá legado decente algum de mobilidade urbana nas cidades-sede da Copa;

- Os aeroportos continuam bagunçados, cheios de improvisações, e com obras de modernização atrasadas;

- O povo esclarecido está muito descontente com os gastos públicos absurdos voltados para esse tal evento esportivo;

- A mentira de que seria a Copa dos gastos apenas da iniciativa privada já foi escancarada, até mesmo pelo próprio governo federal;

- A FIFA tem feito exigências tão grandes, que estas afetarão o dia-a-dia de muitos brasileiros que não tem relação alguma com a Copa;

- A rede hoteleira continua trabalhando com qualidade sofrível, e na certa trará desconfortos aos visitantes, bem como irritações com os altos preços que serão cobrados pelos serviços;

- Em pleno verão (normalmente úmido), estamos enfrentando uma grande estiagem. Nossos invernos geralmente são secos. Portanto, caso não comece a chover adequadamente, teremos a Copa da falta de água e do racionamento de energia elétrica;

- As rodovias federais não privatizadas estão em péssimo estado de conservação, e na certa causarão desconfortos ou transtornos aos visitantes que precisem se deslocar por terra, entre as cidades-sede;

- A violência urbana tem aumentado cada vez mais, principalmente em capitais do Nordeste. Na certa, muitos visitantes já estão preocupados com isso.

Além disso tudo, Dilma terá sempre o receio de levar uma nova grande vaia, em alguma de nossas arenas, o que traz um desconforto enorme ao governo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário