sexta-feira, 28 de fevereiro de 2014

REVISTA ÉPOCA COM GRAVES DENÚNCIAS CONTRA SÉRGIO CABRAL


Yuri Sanson
Segundo a reportagem, ao renovar (sem licitação!) a concessão do Metrô Rio, em 2007, a Opportrans passou a fazer pagamentos mensais frutos de um acordo para pagamento de uma dívida de 40 milhões de reais do Estado com a Camargo Corrêa.
Mas uma porcentagem seria desviada, precisamente 5%, e este valor transferido para um secretário estadual e para um sócio do governador em uma empresa.
Parece se tratar de migalhas da “Castelo de Areia”, operação da PF que pegou inúmeros políticos rolando numa lama de corrupção das empreiteiras. E um juiz estranhamente decidiu que a operação era inválida, pois teria se iniciada a partir de uma denúncia anônima.
A reportagem na íntegra pode ser lida: AQUI

Um comentário:

  1. No e-mail do gabinete, o estado destaca os investimentos que têm sido feitos na renovação das frotas: “Nenhum governo, nos últimos 20 anos, adquiriu trens para o metrô ou a SuperVia, ou embarcações para a operação aquaviária”. Sobre o transporte ferroviário, cita que, em 2007, operavam na SuperVia 130 trens muito antigos e apenas dez novos, com ar-condicionado, para transportar 380 mil passageiros por dia.

    ResponderExcluir