sexta-feira, 21 de fevereiro de 2014

Repúdio à cumplicidade do governo brasileiro com totalitarismo de Cuba e Venezuela




Há uma paixão dos governantes brasileiros pelo regime cubano. Que se apaixonem por quem quiserem, mas não levem para Cuba o dinheiro que é do povo do Brasil, como no caso do Porto de Mariel, financiado com milhões do BNDES, e como neste programa em que são pagos ao governo dos irmãos Castro R$ 10 mil por médico cubano”.

A afirmação foi feita pelo senador Alvaro Dias, ao elogiar discurso de seu colega de partido, Ruben Figueiró, que criticava o caráter escravagista do programa mantido entre Brasil e Cuba. Para Alvaro Dias, a população brasileira se mostra cada vez mais indignada com a relação comprometedora do governo Dilma com os regimes totalitários de Cuba e Venezuela, principalmente por sua subserviência e cumplicidade com a violência e a violação de direitos humanos praticadas naqueles dois países.

“A irritação se alarga entre a população, ainda mais quando se divulga que o governo brasileiro está tentando convencer o governo cubano a aumentar para mil dólares o pagamento dos médicos que participam no Brasil deste programa, eles que atualmente ganham apenas 400 dólares, dos 10 mil que são pagos a Cuba por cabeça. É um verdadeiro esquema de escravidão branca este mantido pelo programa Mais Médicos. O governo brasileiro é cúmplice da arbitrariedade, da violência, da prepotência dos regimes totalitários de Cuba e Venezuela. Por que essa cumplicidade toda? Não o fazem em nome do povo brasileiro. Se querem ser cúmplices dessas ditaduras, que o sejam às suas próprias custas, mas não às custas do nosso povo”, disse Alvaro Dias, no Plenário.

Nenhum comentário:

Postar um comentário