quarta-feira, 19 de fevereiro de 2014

PT e PSDB escalam equipes para início de 'guerrilha virtual'


É da avenida Indianópolis, na zona sul da capital paulista, que uma equipe monitora diariamente as menções na internet ao governador paulista, Geraldo Alckmin, e à sua administração.

Do diretório estadual do PSDB, um grupo acompanha quais são as principais palavras ligadas ao tucano e se as referências a ele são "positivas, negativas ou neutras".

Esse mesmo grupo diz à direção do partido – e, consequentemente, à cúpula do governo do Estado– quando é preciso reagir aos "ataques virtuais". Na última semana, a equipe trabalhou para tentar minimizar comentários negativos à atuação da Polícia Civil na cracolândia.

Enquanto críticos de Alckmin disseminavam comentários sobre a violência dos agentes, seus defensores promoviam uma "agenda positiva", divulgando a sanção da lei que proíbe testes de cosméticos em animais.

Na região central da cidade (bairro da Bela Vista), uma equipe faz basicamente o mesmo trabalho, só que para o PT. Comandado pelo sociólogo Sérgio Amadeu e pelo jornalista Renato Rovai, o grupo usa um software para monitorar temas que interessam aos petistas e indicar como eles estão sendo tratados. "Mensalão", "PT" e "Dilma" são as palavras-chave mais buscadas hoje.

[Imagem: 14032310.jpeg]

A equipe produz relatórios que indicam a temperatura das discussões e o número de menções a cada assunto. A qualidade das referências é descrita em detalhes. Esse trabalho é feito para o partido, mas será usado na campanha à reeleição da presidente Dilma Rousseff e também na do ministro da Saúde, Alexandre Padilha, ao governo de São Paulo.

BOATOS

Em Brasília, a Pepper (empresa que presta serviço de comunicação para o PT) já faz o rastreamento de rumores negativos para o governo federal, além do monitoramento de perfis falsos da presidente Dilma.

Entre os tucanos, Xico Graziano, um dos principais assessores do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, vai montar a equipe de internet da campanha do senador Aécio Neves (PSDB-MG).

Graziano encomendou um levantamento da "reputação digital" de Aécio, nome que se dá ao estudo da origem e qualidade das menções feitas a alguém nas redes. Sua principal missão é medir o alcance de boatos que são vinculados ao nome de Aécio. "O PT tem uma rede de blogueiros em seu bolso, que se dedica a dizer que ele não passa de um 'bon vivant'. Meu trabalho é mostrar o Aécio gestor", diz Graziano.

Mas há quem queira colocar pimenta no discurso oficial. Pedro Guadalupe, um jovem mineiro considerado prodígio em redes sociais, está entre os mais cotados para integrar a equipe de Aécio.

Em 2012, ele trabalhou com o marqueteiro do PT, João Santana, contra o candidato de Aécio em Belo Horizonte. Agora, quer fechar negócio com o senador. Para isso, criou um "cartão de visitas" que entra no ar hoje.

Intitulado "Dilma mente", o site parece, à primeira vista, um sítio da pré-campanha petista. Mas, como o nome entrega, é crítico à presidente. "Jogo em alto nível. Ela é presidente e merece respeito. Mas sou mineiro, profissional, e acho que será ótimo trabalhar com Aécio", afirma.

O PT, por sua vez, quer profissionalizar a militância. Na Semana Santa vai promover uma espécie de "Campus Party" em diversas cidades do Estado para articular uma atuação integrada na rede.

Fonte: Folha

Nenhum comentário:

Postar um comentário