quarta-feira, 19 de fevereiro de 2014

África do Sul e o genocídio da população branca

No inicio de Outubro de 2013, um grupo de Sul-Africanos brancos realizou um protesto contra o que denominou como de genocídios contra a minoria branca Sul-Africana. O grupo Outubro Vermelho sustentou que os brancos Sul-Africanos não se sentem seguros por serem considerados abjetos, e a serem mortos nas suas unidades agrícolas e residências no país.

O grupo avalia que pelo menos três mil brancos foram mortos na última década, e particular no decurso de incidentes relacionados a crimes de ódio.
Aquele numero não se reflecte com as estatísticas de crime, já que, e apenas no ultimo ano, a policia Sul-Africana registou mais de 16 mil e 200 assassinatos.
Um novo partido político está a usar o factor raça como bandeira. O recém-formado Partido dos Lutadores da Liberdade Econômica, chefiado pelo expulso presidente da Liga Juvenil do Congresso Nacional Africano, Julius Malema, acusa os brancos Sul-Africanos de contribuírem para os índices de criminalidade ao recusarem partilhar as riquezas do país com a maioria negra pobre.
Este ano tem eleições presidenciais na África do Sul. A raça é a maior bandeira por lá.

Nenhum comentário:

Postar um comentário